sábado, 4 de fevereiro de 2017

Wunjo



Após a conquista de bens materiais e de enfrentar com coragem os espinhos diários, os deuses enviam seus sinais nos impulsionando para ir além, superar os medos e encarar a jornada com luz e verdade!

Ao estabelecer a conexão coerente entre a alma e o coração, une-se ser e destino e pode-se festejar o final de uma empreitada!
Hora de enfeitar a mesa com flores e boa comida, muita bebida, cantar e dançar a vontade! 











 Assim é Wunjo, a runa das Glórias e Alegrias!

Arte, festas, beleza e diversão são seus desígnios; sugere leveza e permissão para usufruir dos benesses da vida, com a consciência de que todas as alegrias são efêmeras, porém, importantíssimas para fazerem o coração se abrir e sorrir, elevando a vibração e propiciando o afastamento de energias densas e prejudiciais, ao mesmo tempo que abre portas para o contato com pessoas e momentos tão agradáveis, que nos darão o desejo de prolongar essa experiência e repeti-la muito mais vezes.




Wunjo pode falar de futilidades, flertes, vaidade, exagero nos doces, embebedar-se, mas, também, da alma do artista, que busca beleza através da pintura, do canto, ao tocar um instrumento ou em esculpir, procurando graça e até a divindade na vida.




"A alegria é para aquele que conhece pouca aflição; sem aflição eles terão progressos e bênçãos"

Trecho do poema anglo-saxão que cita a runa wunjo.