domingo, 6 de outubro de 2019

Eihwaz Teixo - Vida e Morte


Árvore sagrada
 da vida e da morte,









  
 de madeira dura e elástica,
na antiguidade utilizada
 para confeccionar arco e flecha;
 suas folhas venenosas são capazes de matar animais domésticos;
 sua casca  pode curar doenças malignas,
 por vezes relacionada ao Yggdrasil, 
árvore que sustenta o mundo segundo a mitologia nórdica.





O Teixo nos ensina sobre o livre arbítrio, a hora de escolher por qual caminho seguir, quando o peregrino começa a abrir mão do que não vai precisar e, mais leve, segue com flexibilidade e firmeza.

No momento da escolha, pode-se deixar para traz o peso do passado, o que faz mal, o que não faz mais sentido. Runa de proteção e que nos abençoa com a certeza de que haverão novas possibilidades, nem que se apresentem em outra vida. 




"O teixo  é aparentemente uma árvore lisa,
dura e firma na terra,
um pastor do fogo
se mistura às raizes,
um prazer sobre o solo."
poema anglo saxão

Jera - Colheita - A Terra - A Semeadura







Décima segunda runa do alfabeto Futhark.


 Tudo, exatamente tudo o que plantamos é o que colhemos. 

Muita atenção a toda e qualquer palavra dita ou escrita, gesto, pensamento ou ato, tudo terá seu retorno, tudo, se não duplicado, triplicado.

 Havemos, pois, de ter responsabilidade durante toda estadia na terra, ela nos cobrará.

Jera nos fala de justiça.

O que for semeado, a colheita será justa.
Quando entendemos os ciclos, entendemos as leis cósmicas:
Arar a terra, limpa de velhas raízes, semear bons frutos,regar, cultivar cada broto, como sendo presentes dos deuses, reverenciando e sempre agradecendo a nova vida, que se tornará alimento por todo um período.

Diferente da semente plantada no ventre, acolhida e preservada, Jera
é lançada, espalhada ao vento. 

  Odin é também considerado o Senhor da Morte escolhe somente os guerreiros mais nobres para ir para o Valhalah 
- "Casa dos Escolhidos"- uma recompensa pelos bons atos.







"A colheita é a esperança de todos,
quando os deuses permitem à terra
dar seus esplêndidos frutos
para ricos e pobres."

poema anglo saxão
    

Isa - Gelo











O inverno é longo e o abrigo é necessário, o momento é de silêncio e introspecção.
As questões são adiadas, o tempo deve ser respeitado!
Embora pareça trazer um período difícil, esta é uma runa de proteção.



O gelo conserva, permite pensar melhor, ver problemas com distanciamento e adverte que é preciso esperar o tempo devido, aquietar a mente e esfriar as emoções.
Para o amor, é o próprio luto após desilusões, à espera  de que as feridas cicatrizem,
O lado financeiro fica estagnado, nada se perde nem se ganha, mas é pessoalmente que Isa traz suas maiores lições; é a runa do peregrino que parte sozinho na sua jornada de auto conhecimento, é também a runa da lição do silêncio, que acalma a alma e refrigera o coração.


"O gelo é frio e escorregadio
cintila qual vidro, qual gema.
O campo coberto de neve 
é belo de ver."
poema anglo saxão