quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Sobre conexões

Como musicista, percebo que é preciso conhecimento, técnica e muito estudo para que alguém se torne um  músico de verdade, quando isso se dá e o instrumentista se apropria de tal universo - se é que isso seja possível- chega o momento do mergulho do músico em sua música, isso o conecta com a própria alma e ele passa a dar o seu tom, e então, o músico e sua música passam a ser um só.
Refletindo sobre isso ao tocar, relaciono essa conexão com quase todas as coisas, especialmente as do universo espiritual. Penso sempre em energias, podemos ter nascido na África, Europa, Brasil, e, portanto, temos uma comunhão com as forças energéticas daquele lugar, fazemos parte da mesma egrégora, mas, no que se refere ao espírito, há uma outra afinidade, talvez até mais verdadeira, já que vem do coração, mas, ao mesmo tempo, não podemos negar a força da terra em que nascemos e nossa união com ela e sua história e há ainda uma terceira conexão, a herança anscestral, de sangue, de família,e é como se esses tres princípios caminhassem juntos e em espiral, ora estreitamente unidos, ora definidos, cada qual com sua egrégora.
Partindo desse princípio, atrevo-me a relacionar divindades, não pensando em sincretismo, que nos remete ao ecletismo, mas à fonte, a fonte energética daquela divindade, aí sim, entendo e me conecto.
Não falo do que não conheço nem do que não sinto, portanto, para mim, pessoalmente, consigo relacionar plenamente, por exemplo, Odin, meu grande mestre espiritual das runas, pois é com ele que converso, na mesma frequência de Ossoxi, meu pai nesta vida, divindade das matas e conhecimento, do panteão indígena, portanto da terra onde nasci, assim como Odin, Xamã e pai do conhecimento.
Há também um carinho especial com o celtismo, meu pai nascido em uma pequena aldeia de Portugal,me legou a música e a alma celta. São as minhas conexões.

Um comentário:

  1. "... não pensando no sincretismo, pois isso nos remete ao ecletismo..." Eu também sinto exatamente isso, pois sincretizar, reunir elementos de energias distintas, acaba, por vezes, tolhendo e/ou modificando a essência primeira.
    Muito bom mesmo, adorei!
    1 beijo celta-musical,

    the Osmar.

    ResponderExcluir